Wednesday, January 16, 2013

Poesia de Andaime

Piquenos, decidi partilhar convosco todo o conhecimento adquirido por minha pessoa sobre trolhas e seus piropos.

Temos que dividir isto, porque é toda uma tese sobre o assunto e não vos quero aborrecer.

Comecemos então pela "rima rica".


"Os primeiros dados à nossa disposição sobre o surgimento da rima na poesia ocidental remontam a
origens semíticas que segundo Paul Klopsch podem ser datadas de 250 d.C. aproximadamente. Já
Comodiano de Gaza, poeta cristão do século III, compunha as suas obras em hexâmetros, não imitando
os padrões clássicos de acentuação quantitativa. A  poesia cristã, com o seu objectivo primordial
didático-encomiástico, servia-se então do latim para a expressão de “boas novas” com um novo
artifício de expressão estética para os ditos poéticos.


Recorrendo então a uma das figuras de estilo mais enraizadas nas obras poéticas, a rima, pedreiros,
marceneiros, trolhas e carpinteiros deambulam pelos versos desta vida com declarações de desejo e
paixão.

1. Ó flôr dá para pôr?
2. Ó musa dás-me tusa.
3. Ó bomboca, mostra a toca?
4. Ó doce, era onde fosse.
5. Ó beleza, deixas-ma tesa.
6. Ó boneca, vai uma queca?"


Recolha e textos Luís Coelho



5 comments:

  1. Ahahhahahah! Ó Uena, o que eu já não me ri com isto. "Ó jóia, vem ao ourives!"

    ReplyDelete
    Replies
    1. ahahahah
      temos mais.
      vou partilhar um por dia, vá :D

      Delete
  2. Tão idiota,calma pa quem não sabe,idiota é uma pessoa com muitas ideias,inteligente,valeu a pena todo o dinheiro investido,beijinhos Mãe Buena.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Foi o teu filho que partilhou comigo. É de um livro Mariazinha :P

      Delete

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...