Thursday, January 31, 2013

Poesia de Andaime #4

Voltando à poesia de andaime que tem estado em pausa.

Hoje apresento-vos o excerto sobre "Os Ordinários".

Que me desculpem as pessoas sensíveis e em especial a Mãe Buena. Mamãe, já sabes que odeio palavrões.

"Esta secção, não aconselhada a leitores com pacemaker, revela a face mais obscura da poesia de
andaime. Poesias rudes e deliciosamente envenenadas com sarcasmo e desdém. Versos muitas vezes
escritos à hora de almoço, sem a supervisão de um capataz devidamente credenciado e declamados
apenas pelos mais audazes dos homens.

34. Ó filha, fazia-te um pijaminha de cuspo.
35. Quem me dera que fosses um frango para te meter um pau no cu e fazer-te suar.
36. Só queria que fosses um cavalinho de carrossel, para te montar todo o dia por 50 cêntimos.
37. Ó filha, anda cá a cima que até a barraca abana.
38. Contigo filha, era até ao osso.
39. Metia-te-a inteira até que ma mordesses.
40. Posso tocar no teu umbigo da parte de dentro?
41. Ai de ti que eu saiba que esse cuzinho anda a passar fome.
42. Ó filha, enchia-te essa cona toda de massa.
43. Só não tenho pêlos na língua porque tu não queres.
44. Ó filha, anda cá a cima que ele não se vai chupar sozinho.
45. Tens uns olhos tão lindos, tão lindos, que te comia essa cona toda.
46. Caiava-te toda de branco por dentro.
47. Contigo era até encontrar petróleo.
48. Ó linda, sobe aqui à palmeira e anda-me lamber os cocos.
49. Ó faneca, anda cá que o pai unta-te.
50. O teu cu parece uma serra eléctrica, não há pau que lhe resista.
51. És tão quente que até se me grelham os tomates.
52. O meu amor por ti é como a diarreia, não o consigo manter cá dentro.
53. Diz-me quem é a tua ginecologista para eu lhe ir chupar o dedo.
54. Com esse cu, estás convidada a cagar na minha casa.
55. Contigo até me tornava mineiro, só para te abrir os buracos todos. 56. Podia ficar um mês a cagar trapos mas comia-te com roupa e tudo.
57. Posso pagar-te uma bebida ou preferes em dinheiro?
58. Ainda dizem que a fruta verde não se come.
59. Ó filha, lambia-te o que tu mais gostas.
60. Ó fofa, agarra aqui na corneta.
61. Agarra-me aqui no tarolo, ó princesa.
62. O teu pai deve ser arquitecto, tens um cu que é uma obra.
63. Ó filha, agarra aqui com a mão.
64. Que rico filho. Anda cá cima que eu faço-te outro mas mais bonito.
65. Ó sol, sopra aqui na minha flauta pingante.
66. Ó boneca, era a estrear."


Recolha e Textos de Luís Coelho 

Diz que vem aí o Carnaval

Piquenos, estou a sofrer.

Eu, pessoa palhaça que outrora adorou o Carnaval, um dia acordou para a vida e passou a não se identificar com a coisa. Não suportar mesmo.

Pois que Sue se lembrou de dar uma festinha em sua casa... DE CARNAVAL e quer que eu vá mascarada.

Eu sei que me vesti de Boi e de João Ratão na festa das criancinhas da minha empresa.

Sei que tiro fotos a torto e a direito em cima de cavalinhos mas... não gosto do Carnaval.

No ano passado, saí com duas amigas na véspera do Entrudo. Fomos parar em frente ao Dock's (parámos o carro lá em frente, literalmente) e ficámos a observar enquanto decidíamos se saíamos ou não. Havia muita quenga a passear-se pela zona. Quengas, viquengas e outras quengas mais.

Depois seguimos a pé, passando por mais quengas, para um bar lá nas Docas.
Foi uma noite assustadora. Senti-me na Casa dos Segredos. Inclusive andava lá uma qualquer da Casa.

Diz que havia 3 bailarinos. Um macho (ou quase-macho, vá) e duas fémeas.
Ele abanava-se muito muito com a sua tanguinha tigresse, mandava pontapés no tecto, fazia esparregatas e elas resumidas à insignificância de cada uma.
Adorámos quando ele baixou o slip e mostrou o fio-dental secsi e quando decidiu usar o corrimão das escadas para fazer uma esparregata. Oh coisinha secsi! És demais (já dizia a Ruth Marlene).

As músicas de Carnaval fazem-me palpitar o coração e roçar uma síncope: Mamãe eu quero mamar. A-la-la-ôôô mas qui calôôô. Eu quero tchu, eu quero tcháááá. Nossa, nossa... e o resto já vocês sabem. Sim que estas também passam no Quengaval.

Pior disto tudo. Sue indicou-me uma loja de máscaras de carnaval e estou a sentir-me pressionada para adquirir uma.


Mãe Buena, que lavagem cerebral me fizeste tu? Eu que adorava o Carnaval e te importunava para me fazeres fatiotas, agora tenho este sentimento negro dentro de mim (com tanta coisa mais agradável para ter cá dentro...).

Chegaste a mascarar-me de morango, de aia, de cigana (nem cabelo tinha para aguentar um travessão), de empregada da limpeza (aqui já se notava o teu esforço para me fazeres odiar o carnaval), de chinês (até fiquei em 8º lugar num concurso de máscaras), de qualquer coisa que mais parecia um travesti e com o qual apresentei um concurso de máscaras para angariarmos dinheiro para a turma ir a Braga passear (não estou certa deste facto histórico), de Margarida Reis do Big Show Sic (já nesta altura desconfiava que João Baião seria meu pai biológico), de Flintstone, de outra coisa qualquer estranha que combinava roupa do pai e uma cabeleira para ir tocar com a banda a um Carnaval no Algarve (onde deixei cair a estante do instrumento no esgoto e ainda me perguntaram se era homem ou mulher o que na adolescência marca profundamente) e um dia acordei e... não gostava do Carnaval.



Resumindo, ideias de máscaras. Anyone?

Wednesday, January 30, 2013

O corte de cabelo

Hoje foi o primeiro dia em que convivi sem problemas com o cabelo novo, por isso tomem lá piquenos.

A franja é minimi mas segundo diversas e variadas pessoas que não têm problema em dizer-me a verdade, está gira, fica-me bem, a cara fica descoberta e fico com uma expressão gira.
A minha esteticista, desconhecendo o drama do corte de cabelo, quando me viu disse que ficava muito bem, parecia uma reguila.

E é isto. Só isto. Decepcionados ? Drama queeeeeen!

De qualquer forma, sempre que sentirem saudades de me ver com uma franja gira vão ao post anterior.

Monday, January 28, 2013

Antes de publicar o novo visual

Só para que não se esqueçam de quão gira sou com uma franja decente.

Diz que a vi à hora de almoço

A dita parodiada pelo Sensivelmente Idiota aqui.

Lá ia ela a abanar o seu rabo, toda milf (por acaso não sei se tem filhos).

Como mulher que sou, senti vontade de lhe passar uma rasteira (e com esta mini-franja ainda mais vontade tenho de fazer maldades às outras que dão mais nas vistas do que eu. humpf).

Saturday, January 26, 2013

Corte de cabelo do demo

Pois é. A minha pessoa que adora cortar o cabelo, hoje lixou-se.
Não, não há fotos. Só daqui por um mês, no mínimo.

Disse-lhe que era para cortar a franja e ele fazia o resto. Até agora sempre correu bem.
Ele tirava-me as medidas e via o que ficava bem na minha cara e no meu estilo.
Hoje, deu-lhe a macaca.
Fez-me a coisa que mais odeio no mundo. Em toda a gente! Uma mini franja! Além de mini está as bicos. Eu sou menina de franja direita.

O cabelo está com um comprimento que não me choca. Mas mega escadeado. E tinha duas 'rastas' à frente mais compridas que já viram a minha tesoura.
Cabelo escortanhado = cabelo sem brilho, coisa que odeio!

No fim destas queixinhas todas pergunto-me: como é que as pessoas feias conseguem sair à rua?
Eu vou trancar-me em casa pelo menos até a franja tapar os sobrolhos.

Friday, January 25, 2013

Aluga-se

Diz que hoje recebi o primeiro salário de 2013.

Fiz contas à vida e decidi alugar metade da cama a homem sério, de boas famílias, com 1,85m, que não ressone e não se mexa.

Um espécime semelhante e um manequim da montra da Massimo Dutti, vá.

Thursday, January 24, 2013

Uena na banda: o teaser

Meus piquenos, para quem já se esqueceu que passei tempos e tempos a apregoar que ia publicar um vídeo meu a tocar na banda filarmónica da terrinha, aqui esta moi même outra vez a relembrar.

Não dá para postar todo porque é enorme, como tal tenho que editá-lo e agora que sou uma pessoa livre  de tese ainda não me apeteceu (é que quando me ponho a editar vídeos, fotos e a fazer desenhos esqueço-me que há um mundo lá fora e não queremos uma Uena bafienta outra vez, ?)

Mas só para vos garantir que o dito existe, e para vos atiçar um pouco, olhem só:


Isto é um bombardino (euphonium for my international little friends) e essa sou eu em plena adolescência. Altura em que tinha um fantástico corte de cabelo (tinha sido curto e estava a crescer),  um pouco andrógena (mas nunca fui maria-rapaz!), tinha borbulhas, era boa aluna e tocava na filarmónica. Só coisas boas!

Oh tempooo, se voltares para trááás, volta apenas para a altura da creche em que só picotávamos e coloríamos livrinhos.

Nem merece títalo


Guarda-costas chinocas treinados pelo Marco

Diz que o Marco do Big Brother descobriu, depois do biqueiro que afinfou na Sónia, que devia treinar guardar-costas chinocas.

Podem ler aqui.

Estava à espera de ver a Demi Moore a rastejar lá pelo meio mas nop. Só chinoquinhas.

Gosto principalmente dos tabefes.
Pumba! Cá vai disto.

Ainda bem que temos tantos tugas a fazer sucesso lá fora. Ele é o Marco do Big Brother, é o Tony Carreira, a Pomba Gira.
Que orgulho ♥

Tuesday, January 22, 2013

Em dias de temporal

Deixo o chaimite em casa porque não é nada seguro...


...e vou de cavalinho.

Aqui estava a estacioná-lo de traseira que é mais simples para mim.



Friday, January 18, 2013

Idas ao WC do DEMO!

Vou deixar de frequentar o WC do edifício. Vou antes adquirir diversas e variadas Tena Lady ou uma algália.

Diz que desta vez entrei no dito e estava uma das portas com uma fresta e pela fresta consegui ver alguém de rabo para o ar voltado para a porta.

Ou estava a vomitar ou a apreciar o serviço!

De qualquer das formas... BLHECA!

Poesia de Andaime #3

Lição #3 sobre piropos de trolha.

Hoje temos as metáforas.

"Não tão óbvia como a comparação mas não sendo uma coisa diferente, a simples metáfora confunde-se
já com a maneira de falar de cada um. Usada quase sem querer numa tentativa de escapar ao óbvio,
deixa à mulher o papel de adivinhar e interpretar o piropo.

26. Ainda dizem que as flores não andam.
27. Ó filha, com um cuzinho desses deves cagar bombons.
28. Ó filha, levavas aí com o martelo pneumático que fazíamos o túnel do Marquês num instante.
29. Que bela anilha que tu tens, deixa lá enroscar o meu parafuso.
30. Só custa a cabeça que o resto é pescoço.
31. Que rica sardinha para o meu gatinho.
32. Anda cá a cima afagar-me a cobra zarolha.
33. Ó filha, o teu pai devia ter a régua torta para te fazer com curvas assim."


Recolha e Textos de Luís Coelho 

Thursday, January 17, 2013

Momento Fashion da Uena

Diz que o que está a dar é ter blogs de moda e o meu não fica atrás desses que por aí andam (marcas, podem chamar-me para fazer vídeos que eu sou bués de credível).

Estava aqui com uma colega a espreitar o outlet da Lanidor e deparamo-nos com este vestido.


Será para usar em viagens à Arábia Saudita com certeza.
E notem o sapato que combina com o dito. Que máximo.

Aproveitem minhas piquenas. Era 119,90€ e agora custa uns belos 12,90€!


Poesia de Andaime #2

Vamos lá então continuar a aprender a arte de mandar piropos dos trolhas.

Outra forma de fazer piropos é através de trocadilhos.

"O trocadilho resulta de uma semelhança formal entre dois enunciados sendo um deles, muitas vezes,
elíptico. Semelhança que pode chegar à identidade. Alguns trocadilhos relacionam uma paráfrase com
o seu parafraseado. O trocadilho pode ser intencional ou acidental, como ocorre na cacofonia. Há
trocadilhos com intenção crítica, na qual se deseja transferir para um enunciado o suscitado pelo outro
ou aqueles em que o efeito resulta da relação que medeia os dois enunciados. No exemplo do trocadilho
do Barão de Itararé: “Adeus, Pátria e Família” o cómico resulta da relação de oposição extrema entre a
paráfrase e o parafraseado.
Parte da secular tradição oral portuguesa, com raízes nas antigas cantigas de escárnio e nas sátiras de
Pêro Rodrigues, o trocadilho é um refúgio artístico profícuo na fina arte de bem trovar.

7. És como um helicóptero: gira e boa.
8. Ó fêvera, junta-te aqui à brasa.
9. Ó jóia, anda aqui ao ourives.
10. Ó “morcona”, comia-te o sufixo.
11. Ó filha, aperta aqui que é mais fofo.
12. Ó jeitosa, és mais apertadinha que os rebites de um submarino.
13. Andas na tropa? É que marchavas que era uma maravilha.
14. Se fosses um barco pirata, comia-te o tesouro que tens entre as pernas.
15. Tantas curvas e eu sem travões.
16. Usas cuecas TMN? É que tens um rabinho que é um mimo.
17. A tua mãe só pode ser uma ostra para cuspir uma pérola como tu.
18. Tens um cu que parece uma cebola, é de comer e chorar por mais.
19. Só queria que fosses uma pastilha elástica para te comer o dia todo.
20. Tanta carne boa e eu em jejum.
21. Se o teu cu fosse um banco, fazia uma poupança a taxa fixa.
22. Ó filha, agora já percebo porque é que tenho a talocha nas mãos.
23. Belas pernas, a que horas abrem?
24. A ti não te custava nada e a mim sabia-me tão bem.
25. Até davas uma boa actriz mas és muito melhor atrás."



Recolha e Textos de Luís Coelho

Wednesday, January 16, 2013

Poesia de Andaime

Piquenos, decidi partilhar convosco todo o conhecimento adquirido por minha pessoa sobre trolhas e seus piropos.

Temos que dividir isto, porque é toda uma tese sobre o assunto e não vos quero aborrecer.

Comecemos então pela "rima rica".


"Os primeiros dados à nossa disposição sobre o surgimento da rima na poesia ocidental remontam a
origens semíticas que segundo Paul Klopsch podem ser datadas de 250 d.C. aproximadamente. Já
Comodiano de Gaza, poeta cristão do século III, compunha as suas obras em hexâmetros, não imitando
os padrões clássicos de acentuação quantitativa. A  poesia cristã, com o seu objectivo primordial
didático-encomiástico, servia-se então do latim para a expressão de “boas novas” com um novo
artifício de expressão estética para os ditos poéticos.


Recorrendo então a uma das figuras de estilo mais enraizadas nas obras poéticas, a rima, pedreiros,
marceneiros, trolhas e carpinteiros deambulam pelos versos desta vida com declarações de desejo e
paixão.

1. Ó flôr dá para pôr?
2. Ó musa dás-me tusa.
3. Ó bomboca, mostra a toca?
4. Ó doce, era onde fosse.
5. Ó beleza, deixas-ma tesa.
6. Ó boneca, vai uma queca?"


Recolha e textos Luís Coelho



Tuesday, January 15, 2013

Rai's parta os sonhos #3

Há buereré que não partilho nenhum sonho-do-demo, mas o de hoje...
Tenho que abulir o TLC da minha vida.

Aparentemente estive grávida durante 9 meses e não dei por nada, pari e não dei por nada e agora tenho um filho já com alguns meses e não dei por eles passarem.
Mas fiz um puto giro. É loirinho e calminho, calminho.

Esta noite tenciono sonhar que o miudo tem 18 anos e vai para a faculdade.

Monday, January 14, 2013

Escorrega na manteiga

Estava a ver as vistas no Sexo e a Idade e deparei-me com isto.

Recordou-me um vídeo que postei no velhinho blog duma senhora extremamente secsi bailando:





Wednesday, January 9, 2013

Blogs do ano

Estou indignada. Há por aí uma votação para blog do ano e o meu não está nomeado.

Mas não seja por isso. Acabei de abrir concurso para Estaminé do Ano 2012.

.
.
.
.
.
.
.
.

Acabei de fechar o concurso para Estaminé do Ano 2012 e tivemos apenas um nomeado.

O estaminé da Uena Buena.

.
.
.
.
.
.
.

E temos vencedor!!

UENA BUENA IS THE WINNER!!!

Hurray!



P.S. - Porque é que ninguém me avisou que estou com o header do blog cheio de azevinhos quando o dia de reis já foi?

Monday, January 7, 2013

Tom "Kid" Cruise

Mas qual Tom Cruise, qual carapuça. O piqueno é bem mais fixe.

O capachinho aparenta ter sido roubado ao Tony Carreira.

Melhores momentos 2012

Diz que foi em Maio de 2012 que decidi abrir este estaminé (mas já cá ando pelo blogger há uns aninhos largos).
Alguns só começaram a acompanhar as aventuras e desventuras posteriormente, outros começaram loguinho no início mas acabaram por abandonar o barco (cambada de fracos!).
Como tal, decidi partilhar convosco alguns dos posts que acho que merecem ser lidos por todos (ou relidos).

Temos o post que fez mega hiper bué de sucesso. Roçou claramente uma novela mexicana.
Há poucos dias tive, inclusivamente, que apagar um dos comentários feito por um moço que havia convidado a minha pessoa via facebook para tomar um café após ler que moi même era solteira, pois o moço partilhou o seu email pessoal e aparecia constantemente ligado ao post, segundo ele. Ninguém merece aparecer ligado a este post, muito menos se for homem!
Aqui está!

Posteriormente, fui laurear a pevide a Roma. A viagem foi brutal, no entanto foi cheia de percalços que partilhei aqui e aqui (com fotos).

Durante o ano, antes de me dedicar aficandamente à tese, costumava frequentar o ginásio, o que para mim era uma galhofa pegada (sim, porque preocupar-me em ficar mais gostosa 'tá quieta).
O ginásio era frequentado por várias personagens: uma senhora retirada dos 80s, o Rambo, uma stripper  Houve duas aulas em particular que devia ter filmado, esta e esta.

E por fim, houve muitos posts em que me ridicularizei (se calhar porque sou mesmo ridícula). Temos este vídeo, e esta foto (relembro que tenho um vídeo da minha adolescência ainda para partilhar) e mais recentemente o teatrinho em que participei e fiz figuras tristes, óbvio (aqui e aqui).

E that's all folks!
E mesmo assim são vários posts. O que retiro daqui? Que acho que o meu blog bué de espectacular e indicado para cardíacos, pessoas infelizes, trabalhadores que precisam desanuviar ao fim do dia e desempregados que estão aborrecidos em casa e toda a gente, basically!

Friday, January 4, 2013

Quase ao nível do passeio de lancha

Gosto especialmente do senhor de casaco encarnado ♥
Estava a gostar imenso do passeio!

Mas hei-de gostar sempre mais do passeio de lancha.




Créditos Sexinho que se lembrou de mim quando avistou este vídeo


Wednesday, January 2, 2013

E assim foi o 31

Diz que cá estamos nós em 2013. Até agora parece-me igual a 2012 à excepção da dor que tenho nas costas. Isto de estar mais de uma semana de vacances e de pijama a ver séries é duro demais.

Aproveito já para dizer que Scandal est très bons! Vou agora ver os epis 8 e 9 da segunda season, se não apagar entretanto que já regressei ao trabalho esta manhã.

Ora, falando da big party, a passagem de ano.
Diz que me ofereci para fazer um pudim d'ovos e uns folhadinhos para entrada. Folhadinhos ok. Mega simples, não havia como errar. Agora o pudim. Aqueles que seguem o facecoiso da Uena aperceberam-se que tentei abortar a coisa, mas ainda consegui salvar uma espécie-de-pudim-d'ovos-tarte.
O restante caiu para o lava-loiças, chão e porta do forno (ressalvo que o forno é novo) quando levava a forma para assar.

Festinha com os de sempre. Oito casais e... eu! Já lhes disse que para o ano levo companhia, nem que tenha que pagar. É que quando chega a meia-noite dão todos beijinhos uns nos outros e eu fico a olhar para a Teresa Guilherme. Ainda a sorte é que este ano decidi antecipar e entrei em 2013 com a Austrália.

Como em todos os jantares, há sempre um copo de vinho que se entorna. Habitualmente até sou eu que o derrubo para cima de alguém. Desta vez quase levei eu com o banho, não fossem os meus reflexos de Jedi. Só vi o copo a vir em direcção ao meu prato e pumba! Soquei-o para cima da amiga que estava ao lado. Nem uma pinga que me tocou.

Houve muita gargalhada, muita lágrima (por causa das gargalhadas, óbvio!), muito pimba ainda que os donos da casa não quisessem, mas eu, artista de variedades, tinha que levar o repertório.
Houve jogo de mímica - homens vs. mulheres - ganharam as mulheres ainda que os homens tenham ficado com mais pontos. Não perguntem como, não é relevante, mas ganhámos!

Uma das melhores partes da noite foi o karaoké. Quem tem MEO pode ver que tem meia dúzia de músicas à borla. Ora, uma delas é dos 4taste (uma banda qualquer que passou pelos Morangos com Açúcar) e pelos vistos, pelo meio da música tem o verso "Deixa-me olhar". Chegámos a este verso e decidimos improvisar e o que saiu foi isto. Foi espectacular.

E olhem... Bom ano para todos meus piquenos!


(à falta de companhia, faz-se porcaria com a tarte de frutos silvestres da Blooma)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...